11 de junho de 2009

A oculta face heróica de Jason Voorhees

“chá chá chá! chá chá chá!”.

“Corram ele está chegando...”
“chá chá chá! chá chá chá!”
Todos já devem ter ouvido isso em algum lugar...


A maldição que persegue um acampamento, em cada tentativa de reabri-lo, pessoas se vêem confinadas ao local, sendo retalhadas, – uma a uma – por um assassino psicopata. É um estranho mascarado, que a cada vítima se mostra um mestre no manuseio de armas brancas, demonstrando seu exímio instinto de morte, apavorando toda uma geração de expectadores. E assim se estabelece esse imenso mundo de horror, protagonizado por essa figura sinistra, sangue jorrando por todos os lados, uma chacina sem fim, apenas...para proteger crianças indefesas! É isso mesmo, agora será corrigido o maior crime cinematográfico de todos os tempos, uma história contada de forma distorcida, um equívoco, o mais temido serial killer da sétima arte, aquele mesmo que vitimou um grande número de homens e mulheres, nada mais é do que um verdadeiro e autêntico herói, que apenas mata clamando por justiça.

A famosa série Sexta Feira 13 – criada pelo diretor Sean S.Cunninghan em 1980 – inovou o gênero terror ao apresentar o conhecido psicopata Jason Voorhees à Colônia Crystal Lake. O personagem reúne características de outros famosos heróis do cinema, primeiro começando pelo Super-Homem, apesar de Jason nunca ter se mostrado capaz de voar ou suspender um prédio - e menos ainda possuir um S no peito -, apresenta uma força sobre humana e mesmo sendo feito de carne é praticamente invulnerável. E o que falar do Batman? Assim como o cavaleiro das trevas, esconde-se entre as sombras, observa sempre o inimigo antes de atacá-lo, estuda todas as suas características e virtudes, evitando que seja surpreendido pelo mesmo. E porque não, também credenciar a Voorhees a astúcia do Chapolin Colorado, afinal conhece a região do acampamento como a palma da sua mão, é extremante veloz e como um bom caçador, utiliza-se de todos os atalhos para cercar a presa.

A comparação a outros paladinos pode parecer impertinente, mas o que afinal seria um herói? Primeiro uma figura destemida, que surge para proteger, combatendo algo ou alguém em meio a qualquer espécie de tirania. Essa basicamente é a premissa básica, mas a deixa pode variar entre as mais diversas, pois existem diferentes tipos e gêneros de heróis, sem dúvidas há valentes para todos os gostos, inclusive o Jason – mas não é hora de falar dele agora. Heróis muitas vezes são pessoas simples, que se transformam em verdadeiras feras quando vêem lesados dois dos principais direitos de um povo, a liberdade e dignidade. Geralmente a figura surge como a única esperança de triunfo de seu povo, em meio a todo o mal que lhes cercam.


Particularidades de um herói

Muitas vezes para lutar contra os malfeitores sem serem descobertos, esses heróis adotam identidades secretas de sua própria identidade, pois no inconsciente, por exemplo, Wayne realmente é Batman, Kent é Super-Homem e não Bruce e Clark respectivamente como querem passar – o Chapolin Colorado é um dos poucos que goza a liberdade de ser sempre e apenas ele mesmo. E para administrar essa duplicidade de personalidades, adotam-se algumas facetas, adjetivações do estereótipo humano como preguiçoso, fraco e sobretudo covarde, principalmente perante as mulheres. Para os homens preferem parecer ingênuos, inofensivos e um tanto distraídos, a intenção é assim se deixar observar, camuflando o real objetivo, a justiça, lutar contra o mal e todo tipo de mazela que assola o mundo.

Existem ainda outros justiceiros – incluindo o Zorro, Batman e óbvio o Chapolin -, que se diferenciam dos demais pela ausência de poderes, tendo de buscar outros artifícios como uma extensão de sua força e habilidades, buscar métodos para suprir as limitações humanas. O cavaleiro das trevas se utiliza bem da tecnologia, mas assim como Dom Diego e o Polegar Vermelho, defendem pobres e oprimidos realizando façanhas até milagrosas, isso utilizando apenas o cérebro– tudo bem nesse caso o vermelhinho é meio burro -, o seu corpo, as mãos, e principalmente, o coração, a verdadeira força só pode surgir de lá, ficando evidente a forma como se importam com seus semelhantes. Então os heróis... Para tudo! Antes de dar mais ênfase ao assunto, é necessária uma pequena pausa, a essas alturas o leitor já deve estar se perguntando onde se encaixa Jason Voorhees nisso tudo e como relacionar sua insana figura assassina a um valente que clama por justiça. A resposta para esse enigma está centrada nas particularidades, só pode ser percebida, sentida ou descobertas se analisar friamente as entrelinhas da história.

Jason o maior assassino em série que se têm notícias, está atrelado a outro gênero de justiceiro fora da lei, aquele que pode se denominar como anti-herói, essa figura apesar de se diferenciar dos tradicionais valentes, também é heróica, mesmo se utilizando de meios mais severos e um tanto ortodoxos para realizar seus propósitos. São capazes de ferir e até matar, mesmo que a vítima seja o próprio homem enquanto ser, no intuito de proteger a sociedade daquilo que está à margem dela própria. Existe ainda outro fator, paladinos dessa natureza abrem mão da vaidade para lutar pelo que acreditam, sem se importar com as consequências de seus atos, pois às vezes podem passar a ser vistos como o verdadeiro vilão, o real mal a ser combatido, foi exatamente isso que aconteceu com o Jason em Sexta Feira 13.

Diferente do Super-Homem e CIA, o protagonista da série não precisa eleger um vilão para concretizar seus atos de bravura em busca da paz, estabelecendo uma espécie de ciclo, no qual um depende da existência do outro, porque sem vilão não há herói, sem o mal não existe o bem, uma verdadeira “fogueira de vaidades heroíticas”, até que surge Jason Voorhees para romper esses ultrapassados paradigmas, se for para combater as injúrias, vale até beber da fonte da maldade, o disparate do caos está centrado na incapacidade, uma improbabilidade de ideais e pensamentos dos demais em abrir mão de sua imagem positiva para salvar o mundo.

A formação do herói


Quando o assunto á o processo de formação de um paladino, histórias são somente um mero detalhe, o resto realmente é tragédia. Para notar com clareza a verdadeira farsa a qual esse herói foi submetido, é necessário retomar sua história, estabelecer um paralelo dos acontecimentos e traçar cada uma de suas atenuantes e enfim, descobrir sua verdadeira face. Considerado por muitos como uma das franquias de filmes mais assustadores da História, o começo se estabelece pela proposta da película a nível de enredo e direção. Somando um total de 12 produções abordando o personagem Jason, o primeiro se destaca como o mais eletrizante e original de toda a série, servindo como base para todas as seqüências. Os filmes são sempre ambientados em locais desertos e um tanto aconchegantes, trazendo boa dose de suspense com muita sensualidade.

A trama não é o grande foco da obra, que se destaca a carnificina explícita e uma profusão de sangue jorrando para todos os lados. Quando a proposta é acompanhar uma produção desse “quilate”, é fundamental abdicar completamente da lógica no quesito roteiro, procurando entrar no clima de uma película repleta de fantasia, clichês e situações inverossímeis. Uma vez desconsiderando a razão, o espectador poderá se divertir com o show de horrores em meio a um verdadeiro apanhado de imagens sangrentas, um misto de terror se apresentará, quem sabe até manchando a tela de vermelhoDios, que exagero!, mas em Sexta Feira 13 o medo invade até os letreiros.

Agora, enfim, seguindo pela suntuosa trama, todos contam com uma atmosfera perturbadora, dialogam negativamente com a idéia de se passar o fim de semana no camping, sobretudo quando há um lago por perto. Jason representa mais que um psicopata que marcou o início do gênero “matador que corre atrás de mocinhos indefesos”, nascido em 13 de junho de 1946 – curiosamente uma sexta–feira 13 -, o filho de Pamela Voorhees gozou de uma infância normal, a não ser pelo fato de ter o rosto deformado. Aos 11 anos enquanto passava as férias de verão no acampamento Campo Crystal Lake, o garoto supostamente morreu afogado no lago por aparente negligência dos conselheiros que aquele momento “faziam amor”.


No ano seguinte, um casal de jovens monitores é brutalmente assassinado no local, o crime nunca foi esclarecido, mas o conjunto de tragédias culminou no fim das atividades do campo. Passados vinte anos, a lenda de uma anátema que assola o local é desprezada, o Acampamento Crystal Lake está pronto para ser reinaugurado. Entram em cena novos monitores, em suma maioria, jovens ansiosos, seus olhos até brilham diante de nobres idéias, seus hormônios à flor da pele, os corpos “pegando fogo”, prontos para liderar as canções e brincadeiras dos hóspedes. Mas, não contavam em sua lista que um novo e perigoso jogo estava pautado, a nova diversão era “mate o monitor”. Eis que a maldição é retomada, um a um os jovens vão sendo eliminados, sempre com absurdo requinte de crueldade.

A autoria direta do massacre é conferida a Pamela Voorhees. No primeiro filme, não é exatamente Jason quem protagoniza a carnificina. Ao final, a mãe acabou sucumbindo aos ataques investidos pela única monitora sobrevivente. Aquele formato de garota frágil e boazinha, a “heroína” não poderia ser ninguém menos que a “virgenzinha” inocente, a mesma que se recusa a passar o filme inteiro transando, ao contrário das amigas contaminadas pela promiscuidade. Vendo-se acuada, a garota demonstra um instinto assassino de mulher, despertando seu lado voraz para em um ato de destreza e habilidade – e também contando com um pouco de sorte – consegue decapitar a mãe assassina, pondo fim ao seu regime de vingança e terror.



O heróico legado oculto



O protagonista Jason Voorhees, entra em cena no segundo ato, assumindo sua herança maldita, adormecido durante anos no fundo do lago. Finalmente desperta para retomar a jornada de “horror” iniciada por sua mãe, dessa vez em forma de um mal muito pior, jurando vingança contra os negligentes monitores para enfim aposentar Crystal Lake para sempre, mesmo que isso custasse novamente a sua morte.

O herói ataca sempre máscarado poupando a todos a imagem de sua "bela" cara

Nessa adaptação, a contextualização maléfica retoma com Jason em fase adulta. A vingança se inicia, nasce um novo herói com sua máscara de hóquei e extremamente perigoso, atuando apenas com armas brancas. Certa resistência ao paladino vem do período de infância, afinal eram poucos com ousadia suficiente para matar aquelas lindas jovens com seios a mostra e sedentas por sexo – que garantiam aos expectadores adolescentes tenros momentos de prazer quando após ou durante o filme, corriam para o banheiro. Não o odeie, Jason tem de cumprir a missão que lhe foi confiada sem distinção de sexo, raça ou nação e pelo menos se tem de lhe ser grato, já que pôs fim também aqueles “cuecas” irresponsáveis, projetos de cafajestes se achando grandes galanteadores. No fim só queriam traçar as “gateinhas”. Pensando bem, alguém realmente poderia culpá-los por isso?

Caso alguém ainda não credencie Jason como um herói, é porque realmente não conhece sua jornada. O oculto legado heróico de Voorhees também denota com a maldição que o assola. O destino o escolheu para calar a voz de uma juventude infame, precisava conter essa chama viva, concreta, em forma de pecado sexual para que outras crianças – como ele foi -, não sejam vítimas de semelhante negligência a face do perigo. Antes de ser um assassino, é um fora da lei defensor dos menores, da moral, dos princípios étnicos e especialmente dos bons costumes. Isso é comprovado pelos eventos em Sexta Feira 13, alguém já o presenciou a matar alguma criança ou animal indefeso? Sobrescrevendo a dor por assassinar mortais, suas vítimas além dos jovens são aqueles que atravessam seu caminho para desvirtuá-lo de seu propósito. É relevante salientar essa ingrata missão, mas alguém haveria de fazê-la, protegendo indefesas criancinhas.

Como todo paladino que se preze, as vezes também é galan

Tem sempre aqueles que tentarão dialogar, afinal heróis não podem matar e nenhum ser tem o direito de tirar a vida do outro. Esse foi o único modo encontrado de proteger os seus, recorrendo ao assassinato para honrar suas crenças, afinal os anjos também carregam uma espada bem afiada. Dizem que Deus escreve certo por linhas tortas, seu verdadeiro plano é um mistério, mas é certo, “Ele” deu ao homem o livre arbítrio, a possibilidade de alternar seu destino, basta canalizar esse desígnio para o bem ou mal. Da mesma forma que os efêmeros, para realizar seus anseios, ocultam sua maldade e se “banham” da luz, às vezes se mostram capazes de “brilhar” ainda mais intensamente que a bondade em pessoa, nessa direção, os bons também camuflam seu propósito e se escondem na escuridão, concretizando o desejo de justiça.

Pode despertar a qualquer momento do fundo do lago

Adotar a faceta maligna para proteger oprimidos, faz de Jason um dos maiores heróis que se pode ter notícia, toda a fúria em meio à fachada agressiva demonstra que não há ninguém que se importe tanto com seus semelhantes como Jason Voorhees. Por eles é capaz de matar compulsivamente como um assassino louco e obsessivo, pelos seus também padece a morrer, sacrificando a vida e ressuscitando quantas vezes se fizerem necessárias, a cada tentativa de se reabrir Crystal Lake. E agora está lá, no fundo do lago, caso alguém duvide basta reunir um daqueles grupos de amigos famigerados, em um local distante e preferencialmente onde haja um lago. Quando notarem por sua presença, será tarde, estão todos condenados, confinados ao território do cavaleiro do inferno, enfrentando a fúria desse grande herói, “chá chá chá!”, já é possível ouvir seus passos em meio à escuridão, “chá chá chá!” o facão deslizando sobre o assoalho, a morte se aproxima, “chá chá chá!”, ali estão vocês, “chá chá chá...” Pobres garotos...O mal encontra agora sua morada definitiva.

Missão cumprida

37 Coveiros:

rafa Flori disse...

Anjo vc se supera a cada post

Raul disse...

Veio dessa vez a sua insanidade se superou, por um momento acreditei que ele fosse mesmo um herói

raul disse...

Veio até fiquei com pena do jason

Andrielly disse...

kkkkkkk olocoo!
Aquele documentário sobre o Jason eim!?
coitado..!
mto bom o post ;D
completissimo!
beijos ;*
se der passe no meu
http://kittfolk.blogspot.com/

CANTORAS INTERNACIONAIS disse...

Concordo, o texto é mesmo excelente. É legal relembrar esse filme, marcou minha infância, foi o percursor dos atuais filmes de terror (iniciada com a Bruxa de Blair, culminando com Jogos Mortais). O lado sombrio do Jason é fascinante, e de certa forma dá mesmo para (quase) torcer por ele, sua vingança tem uma justificativa forte dentro de um roteiro semi-tosco. Não diria que ele é um heróis, mas afinal, "somos todos heróis de nós mesmos", e com Jason não seria diferente.

Felipe disse...

Nossa
O texto me surpreendeu
De fato... Você me conseguiu convencer de que Jason é um herói... E por que não? Gosto muito dos filmes dele... São horripilantes!

Fabricio bezerra da guia disse...

com certeza eu não li seu post todo,mas eu nunca vi o Jason por esse lado,pra falar a verdade de nenhum lado por que eu tenho medo de filmes de terror

tenho medo e não tenho vergonha de dizer,afinal ,os caras que fazem são profissionais em fazer aqueles filmes

Jaime Guimarães (Groo Veiga) disse...

Ufa! Li o texto todo.

Mas não foi "sofrido", não...pelo contrário, foi bastante interessante.

Na verdade a construção do "Jason heróico" não é diferente da construção do heroísmo de tantas personagens "reais" ao longo de nossa história. Lembro-me de D.Pedro I, retratado como um nobre e justo monarca quando na verdade ele curtia era uma putaria das boas com Chalaça e a Marquesa de Santos...rsss

Pedrão I apenas dava vazão aos seus instintos, como Jason também o fez...rsss...

Mas meu "herói" no cinema ainda é o Freddy Krugger ( é assim que se escreve?)...rsss

abs! Bem bacana o texto.

Luís Pinochet disse...

Nunca imaginei o jason desta maneira... herói? jamais! Não conseguiu me convencer disso, mas quase! Muito bom o texto, ms relamente, a ideia que quis passar que nao me atraiu.

Juliovfn disse...

Nossa, falar de um dos piores vilões do cinema é para quem tem estômago e cabeça para entender.
quando era criança me assustava muito quando assistia pelo sbt nas sextas-feiras.
Passa la no meu blog
http://comosefosseverdade.blogspot.com/

Fabio Rodrigues Lemes disse...

Nossa! Sexta-feira é um clássico!
Parabéns pelo blog!

MoizaCARTUNS disse...

hehehehe... muito bom, cara! Apesar do texto ser longo pacas, li tudo sem parar.

Não sou lá um profundo conhecedor de Jason Voorhees mas, ao que me parece, ele só mata por ódio daqueles que o deixaram morrer no lago... Ou, pelo menos, assim pensava até ler o post. Agora, pensando bem, até que poderíamos atribuir ao mascarado o título de "defensor dos menores, da moral, dos princípios étnicos e especialmente dos bons costumes", hehehehe. A super-força, a destreza com armas, a máscara e, especialmente, um objetivo nobre... tá tudo aí, né? Tudo o que um super-heroi precisa. Só acho que ele deveria investir apenas contra os 'cuecas' irresponsáveis e deixar a mulherada continuar mostrando os peitões diante das telas numa boa... hehehehe

Aliás, acho ideia do 'anti-heroi' perfeitamente assimilável. O heroi que mata pra salvar os inocentes. Tantos quadrinhos são assim... e, às vezes, me parecem bem mais honestos.

Abraços o/

Márcio Lima disse...

caraca mto maneiro teu blog kra, parabens!!
vlw pela participação no meu
abraço

lara veiga disse...

foi o melhor texto sobre heróis e vilões que já vi na vida

Breno disse...

Muito massa. Jason é certamente, assim como Freddy Krueger e Michael Myers, um dos maiores vilões do cinema.

Claudio soccer fan disse...

Não sabia de tuudo isso sobre o Jason. Põe agora um Freddy Krueger também.
abç

Marton Olympio disse...

Putz, tenho saco não.

Sou mais 28 dias depois, que é terror, tem bom roteiro e é bem dirigido.

Pobre esponja disse...

Lol

http://www.pobresponja.blogspot.com/
http://www.pobresponja.blogspot.com/
http://www.pobresponja.blogspot.com/
http://www.pobresponja.blogspot.com/
http://www.pobresponja.blogspot.com/
http://www.pobresponja.blogspot.com/
http://www.pobresponja.blogspot.com/
http://www.pobresponja.blogspot.com/

Marivone disse...

Moral da história:

Meninos e meninas americanas, não se agarrem no mato!

huahauhau
;)

Desafio você a escrever sobre outros serial killers. Meu favorito é o Zodíaco. Nessa a moral da história é:

Meninos e meninas americanas, não vão se agarrar em carros!
hauhauhau

;)

Adorei o texto.

Mau disse...

Bem escrito! Acho que assiti a todos os filmes, e quando o mais recente estreou no cinema, obviamente, não deixei de ir. Sabe o que é mas curioso? Os filmes são uma tosqueira só, a gente sempre sai com a sensação de filme-ridículo-sem-sentido-e-totalmente-tosco, mas sempre volta pra assistir! Quel tal falar sobre Michael Myers de Halloween?
Abraços!
Ah, não posso deixar de fazer meu "merchan", passa lá! http://frag-reflex.blogspot.com/

One Day disse...

é tão legal ver que alguém tem a mesma opinião que eu (jason é herói)
adoro este ser. O cara é foda.
Nunca tinha assistido o 2º filme, mas é muito dahora ele matando um casal transando.
beijos
http://andnobodyelse.blogspot.com

Romero Cezar disse...

Muito massa bem escrito

HUMOR: http://www.osmullekes.blogspot.com/
XADREZ: http://afogadosxadrezclube.blogspot.com/
SOCIAL: http://www.romerocezar.blogspot.com/

Gisela Melloso disse...

Tive certeza que ele era herói, vc realmente me enganou!!!

Forte abraço

Rafa disse...

KKKK

Andrielly disse...

OiiI! obrigada pelo seu comentário no meu blog! ^^) é mto bem receber elogios de quem entende de comunicaçao! ;D
beijos ;*

MorganaPimentel disse...

Jason O.o
eu continuo tendo pavor dele a cada diia mais ^^

Cris Rubi disse...

Sou fã do Jason, pra mim ele é muito melhor do que o chuck norrys,porque levou mais de 100 tiros, foi esfaqueado 26 vezes, levou 5 machadadas, foi atropelado por um trator e um carro, soterrado por um telhado, foi atingido por vasos, um sofá, alguns pedaços de madeira, duas cadeiras, livros, uma estante, uma televisão, quebrou o pescoço no bote de Crystal Lake, foram fincados ao longo do seu corpo 15 barras de ferro, foi parcialmente queimado (por gasolina em Freddy vs. Jason), levou cerca de 50 socos no rosto (parte 8),levou pedradas no rosto(parte 6),perdeu 4 dedos da mão direita, teve os dois olhos furados, foi afogado em água e lixo tóxico, foi explodido, foi criogenizado, foi enforcado , foi decepado, foi eletrocutado (por fio de poste e por trilho de metrô) , sua cabeça foi furada por freddy , foi contra andaimes umas 15 vezes(freddy vs jason) , foi esmagado... e sobreviveu!

Krids CineTv disse...

Porra... agora eu tenho muiita do do Jason!
Eu to com este filme para ver aqui agora!
ahuahua

Abraços

http://krids-cinetv.blogspot.com

ninainwonderland disse...

já tive medo do jason, agora tenho pena! ahiahia

Leonardo Assumpção disse...

Parabéns pela postagem gigantesca, deve ter dado um bom trabalho!
Po cara, se eu fosse você, faria uma postagem por tema, que aí os comentários seriam mais organizados (por tema) ;)

Wander Veroni disse...

Oi, Rafa!

A sua análise sobre o personagem Jason ficou muito bem feita, parabéns! Me fez refletir muito sobre a psicologia que envolve o personagem em questão, apesar de não ser o meu gênero preferido de filme.

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Antônio & Jéssica disse...

Ok. fascinante.Jason pra presidente.
uashuashuas

Deni disse...

eu jha fui "fã" desse cara
kkkkkkk
hoje em dia só teria medo dele..se o visse em carne e osso
kkkkkkkkk....

mas é um personagem simples..
e fanta´stiko...
prefiro ele do q muitos "terroristas cinematográficos" que tem hojem dia!...

um abraço
adorei o post.
mais sucesso
e ótimo feriado prolongado com
293Km de trânsito ¬¬
hehe . .
e claro tá convidad a ver as atualizações insanas do:
www.bagageirodocurioso.spaceblog.com.br

Leonardo Assumpção disse...

Bem... Obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário!
eu só sugeri que você usasse um filme/livro/ator/diretor/seiláoque por postagem... para que não haja necessidade de especificar, nos comentários, o nome do sujeito a ser comentado...

Ps: só pra explicar o meu ponto de vista

De qualquer forma, o blog tá ótimo, bem completo.

Anônimo disse...

O mal encontra agora sua morada definitiva, não teria jeito melhor, fechou com chave...de ouro

Jairo disse...

Eu era pirrai e tinha medo do Jason kkkkkk

Mario disse...

ótimo texto

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________