28 de junho de 2009

O legado heróico de Michael Jackson

Modéstia a parte, esse é um sepultamento especial aqui no “CemitÉÉrio”, perspectiva imensamente nostálgica referente ao fim do legado do astro Michael Jackson, que inda permanece vivo, pelo menos como herói nos videogames.

Durante os textos que produzi referidos ao triste acaso, em todos procurei não emitir qualquer espécie de opinião crítica sobre a trajetória do mesmo. Quero unicamente abstrair do fenômeno os ritmos que embalou minha geração, admiti-lo eternamente como paladino do game e filme que tanto apreciava. Seu talento nato em poesia cantante, com refrões fáceis de serem decorados, ladeando fama e sucesso com suas inesquecíveis baladas, clipes inovadores e enleados passos de dança. Um balaio de virtudes, conjunto concebido a inspirar até hoje ícones contemporâneos em áreas e segmentações distintas.

Sendo assim, é impossível idealizá-lo de outra forma. Meus olhos admiram o garoto de surpreendente talento, ainda jovem demonstrando invejável domínio de palco. No entanto, Jackson sempre foi uma figura conturbada, é fato, ostentando uma carreira repleta de “imensos altos” e dos mais “diversos baixos” também e apesar disso, não me sinto a vontade para tecer julgamentos para mais ou menos.

Impossível renegar a genialidade. Como artista, atingiu os pícaros da glória e também desceu mais fundo que o mesmo fundo de qualquer poço. Quando se trata de Michael Jackson, morrer é apenas parte do processo, a tenra partida do ídolo chocou o mundo, sem dúvidas, mas também soa como hipocrisia, piada sem graça, sendo conduzida por aqueles que o difamaram durante toda a carreira, agora rendidos ao talento do “branco neguinho pedófilo” – inclusive Agnaldo Silva falou em seu blog sobre esse assunto com muito mais propriedade que eu.

No fim fica uma frustração crônica, a impressão que o cantor queria dar um último direcionamento a carreira, a intenção agora, parece muito mais ousada que retomar o posto perdido de rei do pop, era provar unicamente a si próprio que ainda era Michael Jackson na inspiração natural e isso, literalmente justifica a imensa turnê de 50 shows depois de 12 anos de ausência... Pena que jamais ninguém verá o resultado dessa jornada, último itinerário, afinal o trâmite musical de Jackson foi interrompido. Apenas sinto em meu íntimo que obteria sucesso na realização de seus propósitos, não obstante de ser humano como todos, uma diferenciação considerável, ele era Michael Jackson e nunca deixou de ser, mesmo no meio de tantos escândalo, não sucumbiu as diversas acusações de pedofilia, dívidas exorbitante, situações adversamente bizarras, entre outros...


Game

Bom, seguindo logo ao fato que me propus a abordar com ênfase, fiz parte de uma geração concebendo os videogames como a máquina do futuro, uma nova indústria a se estender, ainda branda e intrigantemente genial. Paralelo a isso, também me via expectador da revolução músical pop de Michael Jackson...Agora, onde se estabelece o entrosamento, a fusão de ambos? O início do dilema conflitante é apenas história. Os dois fenômenos nasceram parcialmente no mesmo período, final dos anos 70 e consequentemente estourarando nos anos 80. A junção entre ambos só no começo dos anos 90, embasada por uma homogênea mistura, surgida a partir de uma conquista, o Rei do Pop ganhou o primeiro jogo baseado em sua figura, Moonwalker, produzido pela Sega para o Mega Drive e computadores que iam desde o PC ao MSX.

Além de uma ação comercial explorando um novo ícone, o reconhecimento a Michael Jackson como artista de carisma e talento suficientes para vender até videogames baseados sem sua imagem. Apesar de terem sido lançados outros games em diferentes propostas e perspectivas, Moonwalker foi o jogo mais famoso a exibir Michael Jackson, até por ter sido produzido no auge de sua carreira em 1990 e como o nome já remete, foi baseado em sua música e o tinha como herói principal.

A qualidade do jogo era até mediana, sobretudo nos tempos de hoje, mas era até divertido, quem viveu a era do Mega Drive e SNES deve se recordar com “saudades platônicas” dos icônicos daquela geração. O jogo despertava atenção logo pela retratação do personagem, exibindo uma figura imponente, com uma indumentária branca. A temática do jogo era simplória, uma espécie de luta contra oponentes diversos, bem ao estilo Double Dragon. Com uma diferenciação central nada básica, saindo de cena os mestres das artes marciais e abrindo caminho para uma nova concepção de herói, um tanto distinto, também mestre exímio e calculista, só que na arte da música e dança, verdadeiro ícone pop.

A sutileza da proposta estava contida nas particularidades, como nas animações que reproduziam seu mais famoso passo de dança, denominado como Moonwalk. A produção tem ótimas passagens, a exemplo de uma das fases iniciais, Michael entra em uma sala, joga uma moeda na jukebox e começa a eliminar os inimigos com golpes de dança, ao som de Smooth Criminal, uma exibição verdadeiramente clássica. Ironicamente, a trama do jogo é conflitante com a vida pessoal, relacionando-se no contexto de escândalos da fase decadente da carreira, já que o enredo do jogo o coloca em busca de crianças raptadas por um certo Mr. Big. Isso é realmente intrigante não acham?


Depois de ler e reler esse post, até posso sentir a presença de Michael Jackson, em alguma atmosfera longilínea, despejando longas gargalhadas relativas à sua tão brilhante e malfadada carreira. Agora até consegui ouvir, “hahahaha”, lamentação apenas por ter tido seu ciclo rompido, mero acaso, sua carreira acabou sendo encerrada de modo brilhante, posso ouvir a voz do próprio Michael, ecoando o ambiente, fragmentos que esclarecem a dúvida manifestada acima... Intrigante é ao fim da vida, canalizar todas as situações adversas para o bem, “HAAAAAUUUU”, e vagamente vai sumindo... A harmonia com o universo é estabelecida, o astro enfim encontra sua morada definitiva.

19 Coveiros:

Mr. Boa disse...

Michael Jackso, concerteza eterno...

rafa flori disse...

Fez um grande texto sobre MJ

Marton Olympio disse...

Ele já vinha morrendo há anos...
Só que agora parou.

:)

Atualizado hoje!

http://martonolympio.blogspot.com/

Tobias de Melo" disse...

Gostei de seu post.
É inegável seu papel como marco.

Do Rei dos Loucos, ao Louco dos Reis.
Michael Jackson, foi de mais para entendermos.

Abraço.

Viviane Souza disse...

Uma carreira gloriosa e uma vida polêmica!
Prefiro lembrar do Michael cantor pop dos anos 80 e 90!
Que ele descanse em paz!

Angel disse...

Que descanse em paz o MJ...


se puder depois visite
http://infonews2012.blogspot.com

Rob disse...

huaaaaaaaa e so poste de michael esta semana en quase todos os blogs


huaaaa

http://pensooque.blogspot.com/

Lara Veiga disse...

Um texto de verdade sobre o astro, cheio de particularidades, analisae critica, parabénssss

C. disse...

Foi-se um ícone...

www.indio-indie.blogspot.com

Thaís C. disse...

Tio Michael vai deixar saudades!
Nossa, parece até que não era pra ele voltar aos palcos mesmo! =/

Pati disse...

Foi um choque quando soube, no começo não quis acreditar... Mas que ele descanse em paz.



Críticas de cinema, www.cafedefita.blogspot.com =*

Bersebah disse...

Coveiros...isso nem soa funebre não, né? hehehehe
Ainda mais falando sobre o assunto, relacionado a defuntos(desculpe a palvra, porem a mesma encaixa direitinho com a situação do MJ).

Você relatou de uma forma interessante o Michael, penso que é por ai mesmo.
Até jogo de video game dele tu desenterrou O.O'!

Parábens pelo blog, vou voltar aqui um dia, nem que seja em minha sepultura heheheeh

diegudinho disse...

Foi uma grande perda cara :|

Pati disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wander Veroni disse...

Ao ler o seu texto, fiquei pensando como o Michael Jackson conseguiu fazer um legado musical tão impressionante ao atravessar várias gerações: isso não é para qualquer um! Parabéns pelo post e pelo trabalho de apuração desses dados.

Abraço

Cynthia disse...

Ótimo texto.
Ao ler ele vi o quanto Michael Jackson foi importante para tantas coisas... e muitos só foram se tocar sobre isso, agora.

Foi um grande choque.
De certeza que JÁ É eterno.

;)

L Veiga disse...

Post de sucesso em?

T0PERA disse...

COMO SEMPRE ACONTECE DPS QUE ALGUEM MORRE SÓ FICAM NA MEMÓRIA AS COISAS BOAS.

Alexandre Magno disse...

Posso ver o apreço em torno do ídolo, como alguém que lapida uma pedra bruta até se transfomar numa bela jóia, com extremo cuidado para não destruir aquilo que ela ostenta em particular: o seu brilho. E como se não bastasse ainda viaja através da eletrônica relembrando consoles de ontem que fizeram a cabeça da gente. De gente que pensa e que joga vídeo game,ao som e sincronismo do Michael de ontem, de hoje e de sempre. Pois artista não morrem apenas voltam para casa.
Demais Rafa.

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________