29 de junho de 2009

The Birthday Massacre: Uma mistura de horror e fantasia em sintonia única



Pense em um “barulhinho bom”, não uma melodia qualquer, mas uma sonoridade capaz de mesclar guitarras pesadas e elementos eletrônicos que referenciam os anos 80. Essa não é meramente uma impressão inicial, mas pode ser utilizada como uma introdução para o trabalho da banda The Birthday Massacre, pela habilidade como é inserido nos acordes cada um dos elementos musicais, credenciando a obra como uma verdadeira amostra de inventabilidade artística. Surpreendente... Esse é apenas um plano de fundo para a montagem do verdadeiro cenário, em que prevalece uma mistura bem condensada de terror, com uma boa dose de fantasia, tudo dentro de um verdadeiro espetáculo de imagens e poesia, refletido em torno dos vocais sussurrantes e suaves.

Pouco conhecido no cenário brasileiro de bandas internacionais, o grupo canadense é uma das bandas mais difíceis de ser definida, mediante a proposta de seu estilo musical; repleta de particularidades, a banda composta por Chibi (vocalista), Rainbow (guitarra), M. Falcore (guitarra), O.E. (bateria), Owen (teclado) e Rhim (bateria) é apontada pela crítica como uma das mais inovadoras da atualidade. O título pode ser atestado através de sua obra completa, composta por seis discos, começando pelos independentes ‘’Nothing and Nowhere (2002)’’ e ‘’Violet (2004)’‘, sendo que esse segundo foi relançado no ano seguinte sofrendo total remasterização. Para se consolidar no mercado, veio “Walking with Strangers (2007)”, que é considerado o álbum mais promissor da banda e fechando a discografia com o recente “Looking Glass (2008)”.


Em cada um dos álbuns é possível notar um estilo de música industrial onde os teclados e sintetizadores são os instrumentos predominantes. A melodia trafega por uma linha bem suave, repleto de toques harmoniosos, com vazão a uma realidade fantasiosa repleta de magia e encanto. Uma característica atrativa é a temática gótica, bem ao estilo anos 80, mas com uma particularidade diferencial, os vocais não se desenvolvem dentro de uma perspectiva "sombria", mas sim de uma forma mais alegre, bem ao estilo "garotinha", embora, em algumas oportunidades, a vocalista engrossa a voz para estabelecer uma caracterização mais urrada.

Agora, basta escolher algum dos discos lançados e se deixar levar por todo um conjunto liderado pelos sintetizadores, uma vasta mistura, que pode conter diversos resultados, tudo pode acontecer, pois muito além de melodia e letra... The Birthday Massacre é uma verdadeira alquimia musical.

3 Coveiros:

Rafa flori disse...

Vou baixar essa logoooo

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

bah...
adoro essa banda...

as musicas deles são muito foda...

Lara Veiga disse...

Belo texto, adorei o clip, como disse a flor vou baixar...

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________