17 de junho de 2009

Joseanne...

Um último texto, a última lembrança, o fim de um ciclo...


Querido diário ou qualquer coisa parecida, era uma vez uma “instórria” centrada na figura de uma jovem chamada Joseanne, um nome forte, daqueles dos quais nunca se esquece, possivelmente pediria que lhe tratassem apenas como Annie, gostava do apelido, era como deveriam lhe chamar.

Era... Uma outra vez um indivíduo que atendia pelo nome de Rafael, sujeito um tanto sonhador, verdadeiro arrogante sociopata, perigoso poeta do fingir. Algumas horas muito calmo, outras podia adotar das facetas mais miraculosas. Capaz de amar com a pureza do coração de uma criança e ferir com o célebre ódio imortal.

Joseanne se apresentava como uma personagem graciosa, na forma de garota introspectiva, é assim que muitos lhe enxergavam e a definiam. Interessante perfil de morena alta, corpo escultural, quando observada, logo de cara saltam aos olhos seus quadris largos, preenchidos pelas pernas bem torneadas, realmente estonteantes. O rosto continha uma beleza especial, real criatura do espaço. Apenas nobres sabiam apreciar a sua beleza, os belos olhos estabeleciam o contraste perfeito a sua boca, lábios ardentes, provocante pecado, toda cheia de charme. Apesar da fachada contida e ingênua, a cada olhar despertava enorme desejo, o fogo da paixão, estereótipo de inocente menina fatal, carisma infante, encarnado a uma beleza de mulher.

A relação direta entre os tais, somente está intrínseca na diferença que os separam. Muito distantes, apenas próximos pelo sentimento de discórdia que os rodeiam, a nostalgia de uma grande amizade, inimigos vorazmente ligados ao sacrifício um do outro. Uma vez unidos, amaram além do que o sentimento pode ofertar, também odiaram mais que seus corações permitiram. O mal quando envolve é o mesmo bem que destrói, nunca viveram um pelo outro, apenas padecem da culpa de serem tão diferentemente iguais, parecidos em sua própria ignorância cega,impotente essência abstrata do medo, amantes mórbidos pelo pecado singelo, frio e tênue bem querer.

Agora juntos de novo... aproxima-se o instante de se separarem novamente. Em seus últimos momentos, acúmulo de acusações e discórdia, conjunto de dor e saudades, envoltos pelo engano da incerteza. Cada qual amaldiçoa a existência do outro e se rendem ao real estímulo de prazer que padecem... Começando por Joseanne, a se aproximar lentamente, Rafael lhe tocava os cabelos, agora bem próximos seus lábios novamente se entrecruzavam, e um beijo, pela última vez, aconteceu, aquele estava fadado a ser o derradeiro, pena pois o mundo não parou...

Quem um dia ousará dizer não existirem razões nas coisas feitas pelo coração...Aquela altura, o céu e os pássaros assim como todo horizonte, contemplavam o testemunho do fim desse amor, que um dia resolveu rebelar-se entre eles e agora em fim liberto, é poderoso por abstrair da sua fragilidade, a terrível pureza natural de sua loucura. Rafael e Joseanne nunca saberão, sem querer traçaram um belíssimo desenho no espaço longínquo.



31 Coveiros:

patri disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
patri disse...

muito bom o blog, e o post tambem parabens

http://lixeirananet.blogspot.com/

FAGGH® disse...

parece simples , mais complicado ao mesmo tempo
huahuahua


www.celebritypoke.blogspot.com

Breno Bastos disse...

O mal que envolve, destrói... Bela frase.

Lara Veiga disse...

Rafael e Joseanne nunca saberão, sem querer traçaram um belíssimo desenho no espaço longínquo - isso é tão....

Eureka! disse...

agradecendo a visita!
e o comentario!
www.todoeureka.blogspot.com

Fabricio bezerra da guia disse...

Seu texto é muito bonito.as fotos que o ilustram,eu sempre digo em blogs como esses que as editoras de livros estão procurando talentos em blogs

Felipe disse...

O texto é extremamente complexo de se entender, mas basta prestar um pouco de atenção que se capita tudo em apenas uma frase. Você escreve bem

http://cerebro-musical.blogspot.com/

Janaina Moraes disse...

É o começo de um fim?
Um fim para um começo?
Ou apenas um pequeno diário, como citado no início?

Gosto de textos assim, simples.
Muito bom os textos, voltarei mais vezes.

Participe da promoção
http://blogcafeexpresso.blogspot.com/2009/06/quer-ganhar-o-livro-guantanamo-boy.html

E acesse o blog
http://aindamaisestorias.blogspot.com

Bruna Andrade disse...

"Você escreve bem"?
Você escreve muuito bem *-*

Rosangela A. Santos disse...

Adorei a história e se encaixa para muitas pessoas .. mudando suas caracteristicas .. personagens .. mas são encontros e desemcontros que acontecem .. quam sabe amanhã??!!

Abç.

Fabrício Almeida disse...

Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeita porra!
Botou pra lá!

Msnwillbefun disse...

Gostei,se encaixa em varias pessoas =)

Thaís disse...

Vc escreve mtoo bem, essa historia se encaixa para qqr um..

Bjus

Andy Lima disse...

Lindom você escreve bem
bela adaptação da frase de R.R
Ficou muito Bom mesmo!

Pamella disse...

"perigoso poeta do fingir"
Me permite copiar isso?

Belo texto.

blogixo disse...

bonito o texto, gostei do seu blog, vou ler mais uns posts antigos seus :)

obrigado pela visita e pelo comentário! volte sempre!
www.regurgitado.blogspot.com

Carol Pereira disse...

Que lindo, isso é pura poesia! Muito bom! Adorei!

Dona do Planeta disse...

Cade o fim???? Já acabou??

raul disse...

vc é um mestre da escrita veio

avassaladorasrio disse...

Querida amiga avassaladora...
Mesmo no Caos há uma logica, e assim nessa relação... se não entendemos ,já é outra historia mas as razões estão lá...Sempre há.
Interessante como Joseanne é tudo de bom e Rafael ficou com tudo de mau...De modo geral, gostei do conjunto da obra.
Sucesso!

Mirella disse...

Rafael e Joseanne ficaram juntos algum dia... mesmo que num belíssimo desenho no espaço longínquo.

Beto Uchôa disse...

Mano desculpe a demora deu erro no meu pc,

Cara seu blog eh loco, " cimiterio de palavras " e a imagem tb ta muito boa.

Abraço

Rha Belloti disse...

Só não me diz que essa história eé sua, pelo amor de Deus! Sei bem de tudo o que você contou aí porque vivo isso de perto, muito perto!! O ser tão iguais e diferentes ao mesmo tempo, é isso que mata, o odiar e amar, o desejo cego e ardente e ao mesmo tempo o amor puro e singelo. No final ficam as lágrimas...mas só a gente sabe se essas valem a pena ou não.

Karol. disse...

Nossa gente, você mesmo quem fez? PERFEITO!
acho que estou começando a viver algo parecido, ainda estou no começo.
muito linda mesmo a história.
adoorei o blog!
beeijos.

Gúh! disse...

Nossa belo texto, menos obscuro que o anterior :)

Adorei mais esse :D

º°● Piter disse...

Gostei daqui.

Coisas boas e escritas de forma "boa" me atraem!

Contos e canções disse...

Sentimentos vão e vem...

São esses tipos de sentimentos que nos faz sentir vivos...

Athena Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

parabéns pela sua escrita!!!
Gostei muito !!!
te´+

Taci ;) disse...

Rafa meus parabéns.... belo texto, ele traduz e significa mais que palavras é a união do "Sentir", pois nada melhor do que ser fatalmente inocente..... beijos amigo que continue escrevendo tão bem quanto já escreve....

Taci

Anônimo disse...

vi esse texto por acaso. Rafael e Josy, vc nunca saberá quem eu sou mais eu acompanhei bem vcs dois, convivo ainda com ela e posso te garantir, ela ainda te ama...Um dia, vc vai ver, não esqueça dela, ela precisa de vc

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________