23 de julho de 2009

O último romance entre opostos

Não percam tempo e sentem logo, a história já vai começar...

Dizem sempre que os opostos se atraem... Esse é uma espécie de dito popular, nem lembro ao certo quantas vezes ouvi, certeza apenas que escutei por toda minha vida. Com base nessa afirmação, deparei-me com uma fatídica realidade, nem mesmo os preceitos dialéticos que tanto me aproprio foram capazes para presumir essas questões, paralelamente oculta, a relação ambiguamente antagônica. A entropia do contrário é mais paradoxo de complexidades do que queiramos ou simplesmente possamos imaginar .

Esse foi mais um acaso que começou durante meus sempre bem fadados momentos de caminhada. O cenário perfeito para a inspiração inerente a todo e qualquer escriba, a fonte inesgotável para trazer vocês junto a mim e fazê-los sentarem para ouvir uma nova história. Entretanto, o fato a seguir foi a princípio diferençado. Tudo começou durante uma noite de feriado, rua bastante deserta, a atividade fora marcada apenas por chuviscos que insistiam em cair sobre minha cabeça, anunciando que muita água estava por vir.

Mesmo com guarda-chuva em mãos, optei por voltar para casa, noite insuportável, trajeto sem qualquer inspiração, nenhuma eventualidade que mereça um mínimo segundo de reflexão, menos ainda um acontecimento a render um post para esse Cemitério, no máximo culminaria em um daqueles poemas paia que costumo escrever, até já consigo ver o tema, ele iria se chamar tédio ou qualquer gênero similar.

Enquanto retornava, um Celta seguia pela avenida, passando por mim e parando logo mais a frente. Um fator a princípio irrelevante, só não passou despercebido por chamar atenção pela sua caracterização um tanto despojada e sobretudo pelo seu péssimo estado de conservação. Olhando por meros instantes,estavam bem amostra as concepções de tunning básico, isso aliado ao fato de ser um veículo duas portas, além da beleza gerando certo ar de esportividade. Apesar disso, mostrava-se um automóvel um tanto “surrado”, repleto de arranhões por todos os lados, com os pára-choques desbotados pela ação do tempo e também alguns amassados na parte posterior da porta, no lado do passageiro que estava a se abrir... Observando curioso, logo esqueci do carro em questão e pude notar, uma moça saltar a minha frente... Não idealizava, o dia agora estava predestinado a tornar-se deveras interessante.
Nesse momento, todos devem saber o que estava por trás daquela porta, certo? Realmente, não! Duvido muito que algum de vocês possam mentalizar semelhante beleza humana.Vamos tentar... Imaginem a mulher mais linda do mundo, ou a mais bela que possa brotar na mente de cada um. Depois do pensamento tomar forma “concreta”, atribua a mesma o corpo da mulher –vulgarmente falando – mais gostosa que já viram na vida. É bem possível que assim consigam ser contemplados com a mesma maravilha que fui.

Caso contrário, vão precisar da ação de uma força descritiva, vou tentar narrar com absoluta ênfase todos seus atributos, temo apenas não conseguir expressar com a naturalidade necessária, faltam palavras para imprimir o conjunto da obra. Uma mocinha de cabelo liso, na cor castanho escuro bem a altura dos ombros. Trajava uma mini-saia jeans bem justa , valorizando na dimensão perfeita de suas belíssimas pernas, modeladas a fino rigor estético. Tantas virtudes, “DIOS” quanta saúde! A cintura na proporção exata, parecia não haver qualquer vestígio de celulite ou estrias, seu corpo era torneado como uma equação matemática, desenhado com cada traço constituído na medida exata. Cuidado com a excitação moçada, pois possuía muitos outros atrativos, impossível listar todos. Após um tempo fora do carro, resolveu chamar pelo nome do namorado ou acompanhante, como forma de apressá-lo. Para mim, a oportunidade perfeita para demonstrar a doçura de sua dicção, daquele estilo garotinha hipnotizante. Ajeitava a roupa – sobretudo a minúscula saía – com encanto pessoal, pureza em charme de menina, na alma de mulher. Parecia que cada reação era previamente arquitetada, magia da feminilidade, capaz de encantar e seduzir, um caldeirão de prazer, essa sim merecia ser chamada de DEUSA, escrevendo em caixa alta.

Impossível logo depois de “pagar pau” para a dama a minha frente, imediatamente senti absurda inveja do emblemático indivíduo que a acompanhava, ainda dentro do carro. Antes uma confissão, tenho o mesmo veículo que ele a mais de 04 anos, que inclusive está consideravelmente em melhor estado de conservação, parecendo até 20 anos mais novo... Resumindo, por que em meu carro, em especial, nunca adentrou uma jovem tão linda e dotada de tamanhas virtudes? NÃO RESPONDAM! O fato é que nenhuma das minhas caronas era comparada, no quesito beleza, aquela garota, o que de tão especial estava contido no outro Celta e insistia há anos em escassear ao meu?

Quando se está no fundo do poço, eis que surge qualquer coisa maior para estampar uma nova realidade e logo trata de deixá-lo... Ainda pior! Refiro-me claro a figura que estava a acompanhar aquela tão bela jovem? Engana-se, a mulherada que pensou tratar-se de um garanhão que compensasse com suas belas feições ou corpo sarado, as limitações estéticas bem evidentes em seu pequeno possante. O sujeito era um tipinho bem comédia, um tanto engraçado sem precisar fazer grande esforço, também muito magro, quase até esquelético. Seu cabelo crespo e espevitado, suscitava uma combinação completa, verdadeira mistura alusória ao seu Madruga com Reginaldo Rossi e personagens medonhos afins, parecia até coisa de cinema.
O casal aparentava felicidade, a sintonia entre eles parecia perfeita, tanto que assim que saiu do carro, se entreolharam, ela sempre muito sexy e logo um beijo – tive de testemunhar ocularmente essa bizarrice aguda -, aconteceu. O afortunado sequer percebeu que estava ali devorando sua amada com os olhos, se bem que a conviver com tão bela garota já devia estar mais que acostumado e menos ainda se importando, um bobo se põe a olhar com saliva entre a boca enquanto ele sim a toca, pensando bem no lugar dele agiria da mesma maneira.

Uma jovem de beleza singular, apaixonada pelo incomum, com sua fealdade abominávelmente anormal, o que esperava para em fim defenestrá-lo de sua vida? Existia lógica paralelamente tão ilógica? Tudo ao contrário nessa perfeição naturalmente imperfeita do relacionamento.

Preceitos Dialéticos

No entanto precisava descobrir, simplesmente entender o que fomentava aquela relação para seguidamente fofocar aqui, eis que talvez tenha achado as respostas nos enigmáticos preceitos dialéticos. Começando pelo conceito básico, a dialética é uma teoria que estuda os fenômenos da contraposição e contradição de idéias que leva diretamente a outras idéias. Pode ser definida também como a arte para através do diálogo, demonstrar uma tese por meio de uma argumentação capaz de definir e distinguir claramente os conceitos envolvidos na discussão. É um conceito muito utilizado em diferentes doutrinas filosóficas e, de acordo com cada uma, assume um significado distinto.

A dialética é ciência que mostra como as contradições podem ser concretamente idênticas, como passam uma na outra, mostrando também porque a razão não deve tomar essas contradições como coisas mortas, petrificadas, mas como coisas vivas e móveis, lutando uma contra a outra. O conceito postula que as leis do pensamento correspondem às leis da realidade. A dialética não é só pensamento, resumindo consiste em um modo esquemático de explicação da realidade que se baseia em oposições e em choques entre situações diversamente opostas, como aquele casal. É importante ressaltar, os momentos contraditórios são situados na história com sua parcela de verdade, mas também de erro; não se misturam, mas o conteúdo, considerado como unilateral é recaptado e elevado a nível superior. A dinâmica TESE+ANTITESE=SÍNTESE expressa à contundência deste ensinamento, afirmando que tudo é fruto da luta de idéias e forças, que na sua oposição geram a realidade concreta.

Depois de repassar toda teoria e transformá-la em um verdadeiro blá blá blá, não posso culpar aqueles que não a acharam simplesmente suficientes, nem mesmo eu consegui me auto-convencer. Vou tentar acreditar que o amor esvairia o contrário diante de um verdadeiro sentimento, então os opostos passam a se atrair, mesmo quando opostos em demasia. Aprendi que uma figura horrorosa quando amada e com um pouco de carisma pode se tornar encantadora, nesses casos a beleza pouco importa, certo meninas? Até consigo ouvi-las gritar: NÃOOOO!

Ainda prefiro acreditar no amor, esse mesmo amor a romper barreiras e cravar profundas marcas... Sendo honesto e sensato, no mundo de hoje existe tudo menos amor de verdade, pelo menos não nessa clarividência. Então, permitam que expresse essa estranha amostra parafraseando uma poesia cantada por uma artista que tanto amo, a Cassia Eller. “Quando o segundo sol chegar, para realinhar as órbitas dos planetas” talvez se possa entender o inusitado acaso, porque por enquanto, “Explicação... não tem explicação... Explicação, não, não tem explicação. Explicação, não tem explicação, não tem, não têm!”


E ponto FINAL.

37 Coveiros:

leandro disse...

mto bom o texto mto bem escrito e o blog e mto criativo parabens

André disse...

ola -estou seguindo seu blog -se quiser seguir o meu ficarei grato-abraços

André disse...

www.viacomica.blogspot.com

Rafa Flori disse...

Bem culto e engraçado, adorei como sempre

Raul disse...

Seu madruga com Reginaldo é foda

Lara Veiga disse...

Muito bom, ri pacas desse texto rafinha

Hanna B. disse...

Vide Raul!!!!

Rafa, mandou bem!

Dê uma passadinha lá no meu blog. Estamos com uma promoção: COMENTÁRIOS DE GRAÇA! He-he.

http://www.iusabutendi.blogspot.com/

Abraços.

Itamar (japa) disse...

bem LOCO, uauau!

to seguindo!!falow saudações!

Tiago Dadazio disse...

MUITO BEM MONTADO!

E O SEGUINTE...A VINGANÇA NUNCA É PLENA,...

Jonathan disse...

Muito legal, hehe.

http://makingdiference.blogspot.com/>http://makingdiference.blogspot.com/

Hanna B. disse...

Lei de Murphy até no blog!!!

Rafa, consegui concertar o último post!!!

Adoraria que comentasse...

http://www.iusabutendi.blogspot.com/

Beijos

Gabriela Moura disse...

eu tb prefiro acreditar no amor, sob todas as formas

ANNIE disse...

Convida ela pra sair no seu Celta!

wagner cheerleading disse...

blog super criativo...e muito bem escrito!!!...*

Plugado disse...

Otimoo texto ... so achei meio grande.. mais naum deixa de ser criativo..

visite meu blog quando puder
www.fiqueplugado.com

Nat Tigres brancos disse...

Bom muito bom mesmo
escreves muito bem

Thiago disse...

Muito bom cara!

MioneNunes disse...

como sempre teu texto impecável ;)
gosto pra caramba do q tu escreve
parabens, sucesso com teu blog
www.meannina.blogspot.com

Thaís disse...

Adoreii o texto, vc escreve super bem..
bju

30 e poucos anos. disse...

O que importa no amor é a harmonia e a frequencia...!
Ótimo texto

diogo disse...

parabens pelo texto sucesso
se puder http://diogostanley.blogspot.com/

Pobre esponja disse...

Muito criatuvo mesmo

abç
Pobre esponja

Edilaine disse...

Mto bem escrito seu texto, teve sorte, devemos sempre acreditar no amor...

planetadablogueira disse...

O que importa mesmo, no final de tudo?
É amar e ser amado, abração

Pamella disse...

Amor quando é amor, você acaba amando sem motivos. Acho que isso que importa nesse "atrair de opostos"... Gostei muito do conto, de vocábulo rico.
Beijos.

ship . disse...

criativo demais, parabéns

Pirú disse...

realmente c atraem... mas acho q só para tapar buraco... é dificil ver um punk anarquista casado ha 10 anos com uma evangelica ! sem preconceitos claro... só uma comparação !

Comenta no meu também ok ???
http://www.escolhaopcional.blogspot.com/
Valeu !

Só Para Ela's disse...

Gostei do texto!
Blog bem legal!

PanPum Flûor disse...

haha, muito bom mesmo!

eu nao acredito muito nisso nao, ainda mais no tempos de hoje!

Fábio Netto (Polonês) disse...

Realmente tais opostos podem mesmo se atairem, eu que também ando na noite e a vivo e a vivencio em sua plenitude já presenciei muitas coisas parecidas, algumas das quais sem muita explicação ou mesmo difíceis de serem devidamente compreendidas, pelo menos a primeiro momento.
O texto está bom e bem escrito, realmente gostei.
F. Netto (Polonês)

Roberta disse...

Muito interessante seu blog! Parabéns!!! Voltarei mais vezes...

LeiaNóis? disse...

seu texto ta muito bom. parabens pelo blog

juh s.e.p ϟ disse...

euri!
=D
vouvivendoavidalevemente.blogspot.com
:*

triicious disse...

Caara, adorei seu post !
Muito bom mesmo, to te seguindo ;)
beijao

Alexandre Magno disse...

Rafha, como sempre és exímio observador de tudo e todos, contudo, vejo uma centelha de luz no fim do túnel, algo que possa nos facultar explicação plausível para tal fenômeno... É vero que só o AMOR... É fogo que arde sem se ver... Ferida que dói e não se sente... Mas, se não for o AMOR, pode ser o VALOR... Do contra cheque do sujeito, as vezes um bom salário faz plásticas e modelagens físicas não visíveis aos olhos de simples mortais. E é claro, poderia ser uma bela trabalhadora da noite, cuja beleza física é seu ganha pão de cada noite ou melhor, dia. Agora limpa a baba e deixa o sujeito desfrutar do seu tesouro.

Vera Lucia disse...

Muito bom este texto que nos faz lembrar que o que importa é a essência da pessoa que, normalmente está oculto. O que voce percebe da pessoa a maioria das vezes, não é real e sim enganoso.
Lembre-se que eu só te deixo ver de mim aquilomque eu quero, ou seja, a parte que eu acho que voce vai gostar. O que eu acho que não vais gostar , eu escondoe só vais perceber se tiveres muita sensibilidade.

Dear Letícia disse...

Acredito que oposto se atraem pelo fato que se completam. Ou não né.

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________