2 de novembro de 2009

Lareira

Lareira

O fogo vermelho a crepitar
Irradiando um doce calor
Aquela
A velha senhora acredita
Que sente o alívio da dor
A solidão fica mais quente...
Na casa pobre da aldeia
E quem é há muito ausente
Vem de novo à sua ideia
Pais, filho, irmãos e marido
Todos já idos para o Além
Memórias com vida e sentido
Na Magia que a lareira tem
Que mesmo com tudo perdido
Se sente o aconchego de Mãe
.

5 Coveiros:

Rafa Flori disse...

Lindo, amei o belo poema

Anônimo disse...

Poema lindo

Anônimo disse...

Bela produção poética

vivian azevedo disse...

Lindo, Lindo e lindoooooooooo.

Calixtah disse...

Nossa, lindo mesmo!!

Parabens pela criacao!!!

http://www.passatempo-s.blogspot.com/

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________