1 de novembro de 2009

A enésima potência do amor

Eles precisavam compor um novo final, agora baseado em um inédito desfecho, exatamente num teatro barato, o último ato para sua nebulosa relação desventurada!O encontro entre dois mundos, tão repletos de indistinções. Não era o calor do sol que se dissipava sobre o carro que os aquecia, havia uma chama que emanava de seus corpos, formando labaredas, capazes de incinerar aquele minúsculo espaço.

Os dois ficaram lá por alguns minutos. Quando olhava para seu rosto, os lábios dela irradiavam uma energia disforme, espécie de luz resplandecente a contemplar esse momento jubiloso. A cada segundo, o jovem fazia elegia ao tempo, implorava aos céus que o deixasse passar um pouco mais devagar. A garota apertava seu braço ferozmente, forma encontrada para consentir suas tolas investidas, enquanto ele sussurrava em seu ouvido, que se lhe fosse permitido a graça, faria desse único instante, uma espécie de fenda, entregando a sua alma para ali ficar aprisionado pelo resto do toda eternidade, vivendo e revivendo essa maravilha!

Toda a amostra de aprumo lentamente foi se esvaecendo e sorrateiramente derivando em uma necedade, experimento muito mais ousado de transfundir o sangue dela para seu próprio coração e enfim voltarem a ser um só, quando há muito se difundiram e que careciam se unir novamente. A cada toque e gesto, era imperceptível o seu poder de acalentar seu íntimo de todos os agravos ocasionados pela vida. A agudeza daquela conjuntura só não era maior que o amor a animar seus corações. De alguma forma, o entusiasmo sensível não cabia em seus corações e se propagava a vagar pelo espaço, não amplo o suficiente para abstê-lo.

No fim, se renderam outras tantas vezes ao carma dessa paixão, cada saliva contida em um daqueles longos beijos molhados, derramava um pouco de sua essência a se espraiar em meio a todos os infortúnios contidos, um punhado de tristes recordações que compunha aquela malfada história. Isso porque há momentos em que as pequenas lembranças podem ser mais dolorosas que o fato em si. Ambos lembravam que durante dias anteriores, para que prevaleça o bem, estavam matando um ao outro em seu âmago, um duplo assassinato no relacionamento, significando a morte previamente anunciada de um dentro da cabeça do outro.

E quando à tarde começava a cair, era hora de dar novamente vazão as agruras que permeavam sobre suas vidas, sabiam que não podiam esperar que mais uma bela manhã ensolarada aflorasse sobre eles, tão pouco, que dos céus raiassem nuvens coloridas a contemplar toda essa decadência conjugal.

E assim ela partiu sem olhar para trás, não esperasse dela outro beijo ou que voltasse a alimentar esse louco desejo, apenas um último momento para apreciar, uma despedida improvisada, jogo de cena inspirado na inventabilidade ilusória, sempre elevado a uma enésima potência.PS: Baseado naquela manhã em que fingiram, fabulando ser algo que nunca foram!

53 Coveiros:

Fabrício disse...

Rafa, vc tá alcançando um nível absurdo com seus textos... invista que isso dá livo!

rafa flori disse...

rafa que texto lindo, nossa que coisa rica, lindo, lindo, lindo, lindoo, amay d+

Débora Francis disse...

Maravilhoso seu texto, muito bem escrito...
A forma como descreveu foi simplesmente perfeito!
Meus parabéns... Um escritor muito talentoso.

Rafa disse...

muito obrigado debora, por se utilisar de palavras que acredito n merecer, mas que encheram meu coração de alegria

Bazza Blavatsky disse...

que lindo texto.
parabéns

Annie Farokh disse...

Meu Deus,profundo demais!
Adorei ser 'coveira',cavar e descobrir esse tesouro!
Meus parabéns,estou arrepiada!

THALES disse...

nossa muito dahora seu texto!!! gostei de verdade

Lara Veiga disse...

Lindo esse texto meu bom, tava inspirado, chei de lindas passagens, amewi, creio que um dos seus melhores textos

Tatiane Rosa disse...

Aí Rafael vc é um gênio que texto mais linndo!!!!!!Me fez suspirar,vc é muito talentoso não como descrever este texto....MAGNÌFICO T+

Arthur D'mello disse...

cara, vc escreve super bem.
o amor com toda sua complexidade
e ao mesmo tempo sua simplicidade,
sempre nos inspira.

www.sintoonize.blogspot.com

iMarty Turbo disse...

muito bonito, gostei

Blogueira disse...

O Texto lindo e maravilhoso com sentimentos em cada palavra escrita.

francys disse...

seu blog esta muito bom o texto esta otimo tam bem so fauta vc investir um pouco em um visual mais moderno ta ok
tenha uma otimasemana e conhessa tam bem status meu blog
http://statusfrancys.blogspot.com/

Arnek disse...

Bom texto parabens cada hoje em dia o amor ta meio perdido mas quem procura encontra

http://midiasocialbrasil.blogspot.com/

Henrique disse...

Bom texto nada ... Excelente mesmo! Você expressou bem cada sentimento, em suas frases, palavras, etc, etc ... Muito bom mesmo.

Wadson disse...

otimo texto da livro sim não sei como ainda não deu, continue assim.

romario disse...

Bem legal seu texto. Parabéns, sabe encaixar as palavras de forma a não deixa-las com espaços vazios. Abração!!! Espero uma visita sua no meu blog tbém www.romariodrigues.blogspot.com

romario disse...

Parabéns pelo texto, sabe lidar com as palavras de forma bem interessante! Abração e espero uma visita sua no meu blog tbém www.romariorodrigues.blogspot.com

iMarty Turbo disse...

quanta insiração, gostei do site

Dลиii Diиiz.... disse...

Lindas as suas palavras *----*
Parabéns XD

Lara Fernandes disse...

Uau! Que incrivel esse texto! Meus parabens! ;)

Quézia Maria Lopes disse...

Um jogo de cena que está entre acreditar ou não acreditar nessa ilusão chamada amor.

Parabéns, lindo texto, muito bem escrito.

Anônimo disse...

Gostei muito do blog...

Annie disse...

Maravilhoso trabalho descritivo, tão lindo e nostalgico, pena que apenas, um jogo de cena

Anônimo disse...

Muito bom kra, foi um belo trabalho e que jogo de cena, será se realmente fingiram?

Raul disse...

Minha mãe leu aqui do meu lado, diz que vc é foda, esxreve muito bem! Esse texto tah massa, pareabéns rafinha

Tatiane Rosa disse...

Quando eu crescer quero ser igual a vc =D Mininu GÊNIO!!!!!!

Circuito disse...

Cara... Lindas palavra!!!...
Muito bom mesmo!!!... Ótimo texto!!!

Circuito
www.redecerebral.blogspot.com

iMarty Turbo disse...

muito original
xD

Inez disse...

Seu texto está excelente, você se superou mesmo.
A estória também está colocada com lógica.

Catarina Ribeiro disse...

Oláa..
Lindooo adoreiii!
Belas palavras,linda história..

Beijos

Deane disse...

S E N S A C I O N A L

Vinicius Colares disse...

Como sempre, um texto excelente e que encontra ecos no cotidiano de qualquer pessoa! muito bom!

ALIMAC disse...

QUEEE LINDO *-*
sério,cara!
adorei mesmo.


www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Paula Espíndola disse...

Meus parabéns pelo belo texto, Rafa.
Adorei, você descreveu de uma forma simples, e com esse toque de palavras simples, é que você soube levar o texto além, da magia e até mesmo a realidade.
Lindooo...lindooo!
Obrigada pela visita em nosso blog "Piso Velho".
Seja bem vindo, e fique sempre a vontade!

Tenha um ótimo feriado pra você!
Bjaum!
;D

Paula Espíndola disse...

Meus parabéns pelo belo texto, Rafa.
Adorei, você descreveu de uma forma simples, e com esse toque de palavras simples, é que você soube levar o texto além, da magia e até mesmo a realidade.
Lindooo...lindooo!
Obrigada pela visita em nosso blog "Piso Velho".
Seja bem vindo, e fique sempre a vontade!

Tenha um ótimo feriado pra você!
Bjaum!
;D

Alexandre Magno disse...

As metáforas sobre o amor flem de tal forma que o leitor logra captar o sentimento na sua mais pura essência, onde o movimento sinuoso dos corpos fazem desta uma dávida dos deuses, deuses mortais... Que se integram ao sabor das paixões sem olhar para trás, na tentativa de sorver um único momento ou momento único de emoções. Emoções características daqueles que amam intrepidamente.
Rafha, me parece que nem neste mundo estais mais, tal profundidade dos textos.

Nova Quahog disse...

VC FUMA E ESCREVE TUDO DE BOM!

Lily Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aninha disse...

Em ocasião casual, me deparo com essa belíssima obra!
Valeu o dia ter lido tão belo texto! Parabéns e um grande beijo!
De fato, voltarei outras vezes

Nikku disse...

Não gosto muito deste tema.

Nando! disse...

Sem palavras...
teus textos estão cada vez melhores!

Tô ti seguindo!^^

O mundo de cada um disse...

Que inspiração hein! Gostaria de ter essa inspiração as vezes, muito bom o texto. Não gostei do final declaro, mas foi poético.

Anônimo disse...

E pior que ng persebe que é um texto pessimista, tudo uma farsa

Anônimo disse...

excelente!

Dan Moura disse...

Eu achei bem legal o teu blog...
Achei o layout bem macabro e o conteudo bem cult!

abraços Dan..

www.cinecinefilo.com.br

Anônimo disse...

Poxa pareciam se amar de verdade... Vc nos pregou uma peça danadinho

Diogo C. Scooby disse...

Parece às vezes que a vida não passa de momentos oníricos desconexos. E às vezes aquele beijo nem mesmo foi um beijo, apenas algum devaneio solitário.

Antonio disse...

É lógico que eu tenho que parabenizar o texto. Aliás, só mais um a fazer isso. As suas metáforas foram bem usadas, e o desfeixo foi bem legal. Parabéns !

Verdelone disse...

Caliente, inspirador, muito bom o texto
Parabéns
Abçs
INDO
CIA DOS BOTECOS - www.ciadosbotecos.blogspot.com

PanPum Flûor disse...

a cara muito bom!
ficou belissimo!
parabens i/

Vini e Carol disse...

Muito boa a história.
Despedidas inesperadas, para mim, são menos dolorosas. Pois não há aquela agonia de chegar a hora de partir, é claro que tem o sofrimento depois, mas é bem menos doloroso.
Abraço.

vivian azevedo disse...

Concordo com você Fabrício, cada vez melhor.Perfeito!!!!!!!!!!
Parabéns querido.

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________