24 de setembro de 2009

Spanglish...Uma bela pedida na Sessão da Tarde



Bem aventurada seja a Sessão da Tarde... Apesar de hoje majoritariamente se resumir a filmes de cachorro e afins, às vezes - talvez quase nunca -, abre espaço para produções reflexivas, filmes com algo mais, como foi o caso de Spanglish, exibido na última segunda (21).

Traduzido no Brasil como Espanglês, a comédia dramática é maravilhosamente narrada pelo aclamado vencedor de múltiplos Oscars, o roteirista/diretor e produtor James L. Brooks – que assina produções como “Melhor Impossível” e “Laços de Ternura”. Na trama, a linda doméstica mexicana, Flor Moreno (Paz Vega), decide partir para os Estados Unidos com a sua filha, Cristina Moreno (Shelbie Bruce), em busca de novas oportunidades.Ao chegar, começa a trabalhar na casa da emergente e problemática família Clasky (chefiada por ninguém menos que Adam Sandler e Téa Leoni) encarnando os respectivos John Clasky e Deborah Clasky. O patriarca é um chefe de cozinha bem-sucedido, enquanto sua esposa chama atenção pela insegurança, real estereótipo das ricas famílias americanas.

O conflito do filme se desenvolve com Flor tentando cumprir suas tarefas, a mexicana se vê na necessidade de aprender a falar inglês para romper a barreira lingüística, às dificuldades de comunicação e adaptação à nova cultura. Tudo isso ainda é somado ao crescimento de Cristina, muito empolgada com todas as mudanças - principalmente por dominar o idioma -, e ao excêntrico modo de vida dos Clasky, já que Flor acaba se envolvendo romanticamente com o patrão.

Como uma obra cercada de subversões conflituosas, Spanglish engana a todos logo à primeira vista. Nas entrelinhas é mais um filme de valores e questões sociais, do que propriamente uma comédia. Diria até que o humor é apenas um plano de fundo, o artifício escolhido por Brooks para contar essa história. Uma trama que retrata o universo de culturas distintas na América e o poder de assimilação a esses costumes locais, juntamente pelo modo como interage entre essa e a sua cultura de origem. Essencialmente o filme trata sobre raízes e valores, abordando idéias, mais precisamente pelo poder de deturpação quanto a tudo isso.Brooks divide o filme em algo que pode ser denominado como três camadas, distribuindo as personagens seguindo um único critério, a forma como o próprio se pretende a expor os fatos. Existe um fluxo pró-cultura americana, baseado na premissa do imediatismo, exibindo dinheiro e valores supérfluos, sem qualquer limite ou regra, esse é o âmbito de Tea Leoni... Existe também o mundo da pequena Cristina e do outro lado da barricada, a bela Flor, uma jovem mexicana que é forçada a atravessar a fronteira para poder criar a sua filha depois de ter sido abandonada pelo marido. No entanto, mesmo a conviver com uma cultura diferentemente estranha, a protagonista não se deixa sucumbir por esses preceitos, a cada minuto, minuciosamente é narrada a sua luta para se manter fiel aos ideais de origem.

Centrado a essas personagens, está o dono da casa interpretado por Adam Sandler, que de forma excelente encarna um reputado homem de cozinha, personagem fundamentalmente importante por representar o elo entre todos os outros lados. Excêntrico pelo poder de se dividir entre duas margens, logo é fornada uma ponte entre o que é, ou aquilo que deveria ser. E no final, ele também é quem mais perde com o desfecho do título. Isso por culpa do próprio, em meio a sua incapacidade de decidir os rumos a galgar, passeando incessantemente por entre as duas margens sempre dentro de uma suprema indecisão.

Spanglish é um filme enternecedor e conceitualmente confrangedor sobre o ponto de vista de exibir com singeleza o futuro, sempre se remetendo ao passado distante. Um específico fílmico sobre um futuro sem fechar os olhos, constantemente presente no passado. A narração comprova os motivos pelo qual a história se desenrola, com poder de apontar forçosamente para um ideal de posterioridade. O objetivo por detrás do filme é coeso, o enredo bem desenvolvido, estabelece com exatidão a base fundamental para fazer deste, um dos filmes mais interessantes exibidos pela Sessão da Tarde nos últimos momentos. Isso por praticar elegia a uma concepção futura, onde as diferentes culturas se mantenham dentro de uma única esfera, sem que, ao invés, de fenecerem entre si, possam exibir um campo futurístico onde os valores de cada civilização sejam respeitados dentro e fora delas. Como o objetivo é se projetar, estabelecendo uma nova regra, ainda é necessário esperar alguns anos para ver impressa uma nova realidade. Apesar de particularmente não acreditar que se torne real, não custa nada torcer.

23 Coveiros:

Rubra disse...

Opa! Nada como um bom filme, uma pipoquinha
aaahh!
Valeu a dica!

S. Narciso disse...

Jmas L. Brooks, vai se alguem não o conhece por melhor impossivel conhece pelos Simpsons, Adan Sandler,e uma tremenda falta do que fazer e vontade de continuar sem ter o que fazer, juntei tudo isso numa boa sessão da tarde, como fazia tempo que eu não via!! Bacana esse filme, não tinha visto embora já o conhecia da locadoras ( ainda existem alguma pequena?)

Enfim...tive de olhar o dicionario pra saber o que é confrangedro!

http://opumanegro.blogspot.com/

Diogo C. Scooby disse...

Esse filme é muito bom cara! A vó da família bêbada é uma das personagens que eu mais gosto. E a Penélope está muito bem como uma mulher forte.
Aquela parte que ela pergunta pra filha porque ela quer ser tão diferente dela é de partir o coração. Até chorei agora só de lembrar. rsrs

Muito bom post parabéns!

RONNY DIAS disse...

Uau, que análise!
Quem diria que a sessão da tarde pudesse abordar temas tão profundos?!?
hehehe.

Abraço.

Diogo C. Scooby disse...

FAIL pra mim!! A Paz Vega!!! Troquei o nome na hora de escrever! Emoção demais!

Nova Quahog disse...

vc quis dizer: finalmente algo que valha a pena?
ou menos tosco!

Sane Almeida - Elisane disse...

Já assisti, eu gosto desse gênero de filme, muito bom! (Alias estou vendendo uma locadora, o acervo, rs)
Sobre a sessão da tarde, como já assiti Jerry Lewis junto com meu pai...adorava, que pena que acabou, rs.

Ah, meu escritor favorito é Fernando Sabino. Até hoje Capitu me intriga.

Obrigada pela visita!
bjks

Bruno Alves disse...

Quem diria que na seção da tarde chegaria a passar um tema como Espanglês rsrs

Naya disse...

Finalmente algo bom na Globo \o/! Gostei da sua visão do filme, realmente a comédia é mero plano de fundo para a verdadeira trama!

Abraços!

http://kultura-digital.blogspot.com/

http://kultura-inutil.blogspot.com/

Rafa Fori disse...

Vi esse filme passar, tava dormindo, rs, tipo acompanhei enquato tava deitada, achei estranho porque parecia ter muito social, uma comédia atipica...Agora entendi

Linda resenha fofucho

Lara Veiga disse...

Não conhecia, mas pra variar vc me convenceu, suas dicas filmicas sempre perfeitas...

mulherices disse...

Sessão da Tarde?? Quem me dera ... Mas em qualquer papel feito pelo Adam Sandler, já rola uma certa cumplicidade com ele - um ator muito carismático e engraçado.

E o seu texto é muito bom, vc vai fundo na análise, bacana!

Luiz Lukas disse...

Todo filme com Adam Sandler é bom... não tem jeito!
E eu perdi esse filme, vou ver se depois alugo-o!
valew

Mitti disse...

Oiii
eu amo o Adam Sandler, mas achei esse filme um pouco chatinho....

Eu me acostumei a ver ele nas comédias e qdo tem um drama, por menor que seja eu não gosto...

Ótima sexta-feira
abs

Brothers n' Roll disse...

Pois é! A sessão da tarde na maioria das vezes é muito chata. Eu particularmente não gosto de filmes que envolvem animais como protagonistas. Espanglish é interessante, porém nunca o assisti por completo, sempre vou fazer outra coisa e não termino.

Muito legal teu blog, estou te seguindo!
abraço!

Caboclo disse...

Valeu pela dica!!!

Digalogando disse...

já assisti... é um filme bem comentado...
recomendo!
Abraços da equipe Digalogando!

joabe disse...

waw!!!
muito legal seu blog,
muito louco mesmo,
gosto destes assuntos,
abraços

joabe disse...

estou segundo seu blog!!!
siga o meu também,
http://www.blogdobabe.blogspot.com

abraço brother!!

Eduardo o/ disse...

sem duvida alguma este é um otimo filme

se puder passa no meu blog

http://oarlecrim.blogspot.com/

Jessica disse...

Adoooro o Adam Sendler, ele é um excelente ator e essa atriz que faz o personagem Flor, me lembrou Penelope Cruz que eu também adooro!

Obrigada pelo comentário lá no Planeta e volte sempre,viu?
beijo =*
_____
http://planetabandonado.blogspot.com

Ex-burro disse...

ótimo filme, todos do Adam Sandler são ótimos!

Diego Janjão disse...

Eu estava mesmo bem afim de ver este filme, e agora quero mais ainda...

rsrsrs

XD

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________