28 de agosto de 2009

Frankenstein

Frankenstein

Um pedacinho de seu coração lateja dentro de mim
Sentimentos vindo dos anjos governantes do céu
A pena deles por eu não ter uma alma
E dura a lei criada para mim pai
Queria brotar lagrimas de verdade para chorar
Quero amar alguém como meus pedaços amarão

Frankenstain eu não tenho alma mas existe amor
Frankenstain eu não tenho lagrimas mas existe sentimento
*O céu me mostra a liberdade que não posso ter
Quero tocar o rosto desta dama sentindo seu cheiro
Doce como uma rosa brotada no paraíso
Tento me regenerar dessa vida sem sentido
Todos os dias me escondendo da beleza do mundo
Pai devolva meu paraíso para um descanso eterno

4 Coveiros:

Karina Kate disse...

Mero clássico dos filmes. adoro!!

Lilian disse...

Pedaços reunidos em um corpo, antagonismos, lutas, adaptação. Brigas e conflitos internos e externos. Tomos temos um pouco de Fankenstein. Olhos que não combinam com o rosto, barriga sobressalente, pernas finas,cabelo ondulado. Mulheres fazem plastica para consertar o que está em desarmonia e colam e tiram pedaços. Ao contraro de Frank, que queria apenas ser metade de um só pedaço, mesmo desarmonico, para encontrar sua outra metade.
Adorei.

30 e poucos anos. disse...

É triste uma vida sem sentimento ... o verbo sentir é o verbo oficial da nossa vida pois tudo começa e termina em um sentimento.

B. disse...

lindooo seu texto, quero amar alguém tb, assim como os pedaços do meu corpo são capazes de amar :)

se der visite meu blog:

http://pequenab.blogspot.com/

amei seu blog :)

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________