2 de maio de 2010

Réquiem sinóptico

Carro preto
Estrada

Pista molhada
Enuncio do fim


Mulheres inúteis


Gazelas despidas

Cheiro fétido


Cemitério

Almas rompidas/Palavras perdidas

7 Coveiros:

Rafa Flori disse...

Nosssaaaaa! Esse foi pesado

Carlos. Branco. disse...

HeHe perfeito, muito perfeito,
senti o cheiro da podridão.


www.carlosbranco.com.br

Publicidade Esportiva disse...

Fala Mestre. Tudo bem?

Quero dividir minha alegria pela produção acadêmica e pela participação no Congresso com você!

Porque, querendo ou não, o blog Publicidade Esportiva me incentiva cada vez mais a ler e escrever. E sem você leitor, isso não teria sentido e talvez nem possível.

Muito obrigado!

Espero sua visita, ótima semana e aquele abraço.

Rapunzel disse...

Nossa,,,você é muito criativo....já estou seguindo...segue o meu blog também......bjsss

www.diariorapunzel.blogspot.com

Vanessa disse...

oiii! passei pra te dizer que tem um selo pra vc lá no meu blog (:

bjs ;*
www.vanessafunnygirl.blogspot.com

Tomaz C Frausino disse...

Bem interessante... super conciso... mas transparece seus objetivos... parabéns... bom poema

http://literaturandoomundo.blogspot.com/

Paulo Meucci disse...

gostei demais =), super interessante a poesia.

Postar um comentário

________________________________________________________
Obrigado por visitar o nosso Cemitério...
Volte logo, haverá sempre uma tumba bem quente disponível para você...
________________________________________________________